carta do Gestor - Novembro 20

Novembro 2020

CARTA DO GESTOR

CENÁRIOS E PERSPECTIVAS

1. Conjuntura Econômica

Macroeconomia

No momento há sinais de maior propagação do vírus, entretanto os riscos de segunda onda foram atenuados pelo Ministério da Saúde. Hoje prevalece o otimismo com relação a aprovação das vacinas e, sendo assim, os agentes de mercado já precificam a retomada da economia no pós-Covid.

Por ora, o risco fiscal permanece elevado e deve seguir inalterado até a aprovação do orçamento para 2021 e das reformas estruturantes. Nesse contexto, os déficits primários poderão atingir o patamar de 11,9% do PIB em 2020 e de 2,7% do PIB em 2021.

 

Cabe pontuar que no 1T21 haverá redução do auxílio emergencial e gastos dentro do teto, o que gera incertezas quanto a possível flexibilização do regime fiscal.

Quanto a dívida bruta, a expectativa deve alcançar 91,5% do PIB em 2020 e 88% do PIB em 2021, denotando maior otimismo, uma vez que as projeções iniciais, frente à pandemia, indicavam mais de 100% do PIB. A economia dos gastos com juros e o resultado do Bacen a ser transferido para o Tesouro Nacional contribuem para tanto.

Do lado da atividade econômica verificamos franca recuperação, sendo que as projeções de crescimento do PIB são de -4,5% e de 3,5% para 2020 e 2021, respectivamente. Os dados recentes confirmaram nossa expectativa de recuperação significativa da atividade econômica no 3T20, principalmente no setor de bens (produção industrial e comércio).

Para 2021, projetamos crescimento de 3,5%, pontuando que o consumo de serviços apresenta recuperação lenta e gradual, em razão da baixa circulação de pessoas. Outra preocupação se refere a taxa de desemprego, que poderá atingir 15% em 2020.

As projeções para a taxa de câmbio em 2020 giram em torno de R$ 5,15 / USD, e para R$ 4,50 / USD em 2021. Dependendo do grau de incerteza fiscal, a taxa poderá ser revisada para cima no decorrer de 2021.

Os preços ao consumidor continuam pressionados pelo câmbio e pelos baixos estoques, com isso apontam para uma inflação de 3,5% em 2020. Vale frisar que o problema está concentrado nos preços dos alimentos, uma vez que a indústria e serviços recuperam-se lentamente. Com a descompressão do cambio e a volta das encomendas à indústria, indicando reposição de estoques, a inflação deverá estar dentro da meta (CMN) em 2021.

Nesse entendo, o Copom manteve a taxa básica da economia em 2,0% ao ano, piso histórico, indicando uma postura de estímulo à atividade econômica por período prolongado. O mercado financeiro já cogita que a Selic permaneça inalterada em 2,0% até o 3T21, desde que surja uma solução satisfatória para o “corner” fiscal no Brasil.

Bolsa de Valores

O Ibovespa segue em franca recuperação, atingindo os 113.298 pontos (10/12). Em novembro a valorização chegou em torno de 16% e no acumulado ano -5,29%, ancoradas na perspectiva de vacinação da população e retomada da economia global. Hoje, é certo que os volumes financeiros para a bolsa aumentaram de forma expressivas, confirmando que o movimento de alta deve se sustentar nos próximos meses. As projeções mais pessimistas indicam que o Ibovespa deverá atingir os 120.000 pontos no 1T21).

2. Estratégias

Renda Fixa

Continuamos priorizado a austeridade, investimento em títulos de baixíssimo risco de crédito, devido aos impactos da pandemia.

Renda Variável

A partir de novembro, remodelamos a carteira com base nas projeções de resultados das empresas, listadas na bolsa, com vista no pós-Covid. Reforçamos que a estratégia central permanece pautada em fundamentos fortes, direcionada para empresas lucrativas e estrutura de capital consistente.

Cabe reforçar que, em razão dos impactos advindos da pandemia, optamos pela alocação de recursos em setores essenciais, considerados mais resilientes em períodos de crise. São eles: Energia, Transmissão, Saneamento, Telefonia, Farmacêutico e Serviços financeiros em geral. Desta forma, priorizamos a preservação de capital para, no momento certo e com perspectivas mais claras, investir em empresas com maior upside, mas com fundamentos fortes.

 

Atenciosamente, Renan S. Silva Jr . Gestor, CGA

Disclaimer
O material apresentado é de caráter exclusivamente informativo.  A Bluemetrix Asset não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelos investidores. O investidor deve analisar muitos outros fatores não presentes nessa carta e que devem ser levados em conta para tomar suas decisões. O material não deve ser distribuído ou comercializado para terceiros sem o consentimento da Bluemetrix Asset. Esta carta não se caracteriza e não deve ser entendida como consultoria jurídica, contábil, regulatória ou fiscal em relação aos assuntos aqui tratados. O material não deve ser entendido como uma suposta solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo. A Bluemetrix Asset não se responsabiliza por qualquer erro presente na carta.